O mês ainda nem acabou e o salário já se foi! Se você tem dificuldade para fazer o dinheiro durar até o próximo dia de pagamento, saiba que existem alternativas que podem ser adotadas para fazer com que você tenha um mês garantido. Algumas mudanças de hábitos também são importantes nesse cenário de aperto. Olha só como você pode começar a mudar sua vida financeira mês a mês: 

Faça um diagnóstico dos seus gastos

Você deve, em primeiro lugar, organizar as suas finanças. Por exemplo, utilize uma ferramenta para montar o seu “fluxo de caixa”, ou seja, as entradas (receitas) e as saídas (despesas). Uma planilha simples no excel é um bom primeiro passo e existem diversos modelos por aí ou até mesmo um aplicativo de finanças, o que achar mais adequado para você. Busque organizar seu gastos por categorias, separando o fluxos da sua receita mensal. Como por exemplo: moradia, educação, alimentação, saúde, transporte, lazer e claro, supérfluos. 

A partir daí você conseguirá visualizar para onde vai todo o seu dinheiro, aquele que parece sumir sempre sem explicação. 

Planeje o uso do seu salário

Depois de identificar para onde vai o seu salário todos os meses, você precisa adequar seus gastos às suas receitas. A ideia é que todos os seus gastos estejam devidamente orçados, antes de realizar  compras ou efetuar pagamentos. Dessa forma, você consegue “andar nos trilhos” que você mesmo estabeleceu. Só não se esqueça de deixar algumas margens de segurança no orçamento, como quantias para gastos semanais, como padaria, abastecimento de combustível, frutas e verduras etc.

Com o histórico dos seus gastos em mãos, feito a partir do diagnóstico das finanças pessoais, você já poderá destinar uma parte do salário para os gastos recorrentes, como os que mencionamos antes. Logo, como você pode ver, aquele cafezinho depois do almoço pode não ser o vilão do seu orçamento, desde que você deixe uma quantia por mês para esse hábito.

Mesmo assim ainda não deu…

Sabemos que esse é um processo difícil, precisamos nos adaptar e adequar nossos hábitos de consumo ao que temos de receita. Usamos o cartão de crédito, o cheque especial, fazemos empréstimos, tudo isso ajuda na hora de esticar um pouquinho nosso salário, não é? Quanto mais perto do final do mês mais justas ficam nossas contas. 

Mas como funciona o cheque especial? O cheque especial é uma espécie de crédito pré-aprovado com liberação automática. Não é preciso fazer a solicitação. Como se trata de um crédito de liberação automática e pré-aprovado, a instituição financeira credora não tem garantias do tempo de pagamento do empréstimo.Por isso, o cheque especial é uma das modalidades com os juros mais altos do mercado. E o pagamento é feito diretamente na conta do correntista, assim que for efetuado um novo depósito. É importante entender que essa é uma alternativa de emergência e que deve ser considerada com cuidado. 

Adquira a cultura de poupar

Fazer nosso salário render é sempre um desafio, mas tudo se ajeita, existem alternativas interessantes, mas também é preciso aprender a dar valor ao dinheiro e saber que é possível colocar nossos gastos em perspectiva para um rendimento melhor e economia no final do mês. 

Adquirir uma cultura de economia não é sobretudo gastar só quando necessita, mas sim, sobre ter consciência financeira e não agir por impulso. Mesmo que as contas não fechem no final, o importante é ter ciência sobre nossas finanças. Adquirir uma cultura financeira é essencialmente saber com o que e quanto gasta no seu universo de consumo (por exemplo, num mês). 

E aí, viu como para toda e qualquer que seja nossa situação financeira há uma maneira de agir para ajustar, contornar e melhorar? Faça seu salário render e esticar um pouquinho mais todo mês para não ficar no aperto.