Alcançar bem-estar financeiro, esse é nosso maior desafio. E como saber se chegamos lá? Bem, é preciso reconhecer alguns indicativos disso ao longo da nossa jornada financeira. Vamos comentar no texto de hoje sobre  algumas atitudes que nos ajudam a perceber se temos, ou não, essa consciência. Vem com a gente pensar em formas mais saudáveis de lidar com nosso dinheiro!

Gratificação imediata só quando necessário

Já parou para pensar que muitos dos nossos investimentos são pensando no futuro e menos no agora? Pois é, isso porque se organizar hoje para evitar preocupações no futuro é uma atitude muito mais responsável. Um importante componente da boa Educação Financeira é, justamente, a capacidade de não satisfazer um desejo imediato em prol de algo melhor no futuro. Em outras palavras, é conseguir deixar de lado a gratificação imediata com uma compra e buscar uma gratificação maior ainda no médio e longo prazo.

O que realmente tem ‘valor’ em sua vida?

Falamos algumas vezes de valor aqui no blog e é sempre delicado, afinal, é algo difícil de se definir. Mas uma boa tentativa seria: tirar o máximo proveito de cada real que gastamos, garantindo um retorno ainda maior. Não significa necessariamente comprar o produto ou serviço mais barato sempre. Em vez disso, significa evitar o luxo pelo luxo. Ou seja, é saber levar em conta coisas como qualidade, durabilidade e real utilização dos itens que compramos. Pensar, por exemplo, em gastar com uma viagem ou uma experiência ao invés de comprar aquela cervejinha a mais, também cabe nessa análise. Se você é do tipo de pessoa que ama viajar, ter isso em mente faz muito mais sentido e o retorno ao realizar a viagem, com certeza, paga os custos.

Ah… a arte de garimpar e pechinchar 

Achar produtos e serviços de graça podem nos ajudar a gastar menos e a olhar para nossos gastos com mais consciência. Garimpe até achar a melhor opção para o seu bolso, e claro, negocie sempre! Existem diversas alternativas para você procurar, seja cultura e lazer, viagens, ou até mesmo para as saídas de sábado a noite. Buscar restaurantes com descontos, desde que a promoção em si não sirva de desculpa para consumir acima do seu orçamento, vale a pena!

Buscar mais alternativas acessíveis e de graça não significa que não temos condições de gastar, mas sim que conseguirá direcionar seu dinheiro de maneira mais consciente, ao invés de gastar tendo a oportunidade de economizar. Não é preciso fazer isso com tudo, afinal o importante não é deixar de gastar, mas poder gastar com o que quiser e com qualidade, sem afetar suas finanças. 

O que ‘está na moda’ nem sempre é o que você precisa

Ao organizar nossos gastos, conseguimos perceber alguns padrões e nossas motivações. E para grande parte de nós, consumidores, boa parte deles são realizados em compras motivadas por modismos. O último lançamento de um tênis de marca, um relógio caro, o carro do ano com design inovador ou a roupa que a modelo famosa acabou de usar na propaganda da televisão.

Saber colocar essa cultura do modismo de lado é muito importante para que nossos gastos possam ser mais significativos. Você com certeza entenderá que fazer um produto durar por mais tempo, não só é melhor para seu bolso, mas também para fortalecer a cultura de aproveitamento do produto, afinal, eles têm uma vida útil e muitas vezes é maior que a próxima atualização do mercado.

Nem sempre o que está na moda é o que, de fato, precisamos. Na verdade, verá que muitas vezes não é. Repare em sua planilha de gastos, quais os gastos por temporada que se repetem? O que foi uma necessidade? 

Mantenha-se informado

Isto é sempre muito importante em todos os aspectos de nossa vida, e ainda mais essencial para nós que estamos em constante relacionamento com o universo financeiro. Estar antenado para as tendências do mercado, trocar ideias e ouvir outros pontos de vista, é fundamental para manter nosso portfólio de investimentos dinâmico e eficiente. E ainda, para que possamos desenhar nossos caminhos. 

Falamos de algumas atitudes que fazem total diferença na forma como olhamos para nossas finanças. Assim, conseguimos conquistar bem-estar financeiro, exercendo uma atitude mais consciente, mais responsável e com propósito. Mas por quê? Bem, tudo isso garante muito mais autonomia. E aí, quais dessas atitudes você já pratica?