Visando diminuir o endividamento de trabalhadores, aposentados e servidores públicos, surgiu o empréstimo consignado ou crédito consignado. Você conhece essa forma de empréstimo com juros mais baixos? Nesse post, vamos explicar o que é empréstimo consignado, quando ele deveria ser usado e como ele funciona. Além disso, vamos explorar alguns cuidados que devem ser tomados antes de fazer esse tipo de empréstimo.

Em primeiro lugar, precisamos entender a definição. Crédito consignado é um crédito o qual o valor das parcelas é descontado automaticamente. Sendo assim, esse valor é retirado direto da folha de pagamento – ou, no caso dos aposentados, direto do provento de aposentadoria. Essa modalidade de crédito tende a ter as taxas de juros menores do as outras. Isto ocorre porque o Estado ou a empresa fornecem uma garantia a mais para a instituição financeira que concede o empréstimo.

Esse tipo de empréstimo ficou bastante popular entre os brasileiros. Por exemplo, entre janeiro e maio de 2018, aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) tomaram R$5,9 bilhões em empréstimo consignado, segundo o Banco Central. Não é difícil entender essa popularidade. Afinal, outros meios de obter o mesmo fim, como o cartão de crédito, o cheque especial e o crédito pessoal, saem por cerca de três vezes mais caros.

Quem pode solicitar um empréstimo consignado?

Para solicitar crédito consignado, a pessoa precisa ter rendimento e margem consignável. Isto é:

  • aposentados e pensionistas do INSS
  • servidores públicos (federal, estadual e municipal)
  • militares das forças armadas
  • trabalhadores com carteira assinada (de empresa privada).

Quanto ao valor permitido, segundo determina o INSS e o Banco Central, o interessado em fazer o empréstimo pode comprometer até 30% do valor do benefício com prestações do consignado comum e 5% com a parcela mínima do cartão de crédito consignado.

Existem regras específicas para as diferentes profissões que podem pedir crédito consignado. No caso dos aposentados, o prazo para pagamento costuma ser de 72 meses e, como regula o INSS, a taxa de juros é de, no máximo, 2,08% ao mês. A idade máxima para fazer o empréstimo é de 80 anos.

Já no caso do funcionário público, o prazo para pagar a dívida tende ser de até 96 meses. Em relação a taxa de juros, no máximo 2,05% ao mês. No que diz respeito aos militares, o tempo do contrato é o mesmo dos servidores, mas a taxa é a partir de 1,50% ao mês.

No setor privado, o crédito consignado está disponível para empregados regidos pela CLT ou celetistas. Neste caso, a taxa de juros média cobrada varia entre 1,40% e 3,50% ao mês. O prazo para pagamento depende do banco utilizado, e é necessário que o profissional tenha um tempo mínimo de carteira assinada. Importante ressaltar que as empresas não são obrigadas a oferecer o benefício do empréstimo consignado. Portanto, o trabalhador deve procurar informações com departamento de RH antes de ir até o banco. Se a organização falir ou se a pessoa for demitida, a dívida será assumida por aquele que solicitou o crédito e este será responsável pelo repasse do valor aos bancos.

Servidores civis que se enquadram nas categorias abaixo junto ao Governo Federal não conseguem essa modalidade de crédito:

  • Celetista (CLT);
  • Contratados;
  • Comissionados;
  • Contrato Temporário;
  • Emprego Público;
  • Quadro Especial QE/MRE;
  • Requisitado e Sem Vínculo;

Como escolher entre um empréstimo pessoal, crédito consignado e financiamento?

Ao perceber que é necessário uma quantia a mais para conquistar algum patrimônio ou equilibrar as contas, muitos ficam na dúvida entre empréstimo pessoal, crédito consignado ou financiamento. Vamos esclarecer essas dúvidas agora!

Primeiro é interessante distinguir o empréstimo de um financiamento. O principal ponto de diferenciação é que, no financiamento, o valor é direcionado a um destino específico. Como carro ou imóvel, por exemplo. No caso dos empréstimos, o destino não é especificado. Como já falamos, o crédito consignado é um tipo de empréstimo. Isso significa que ele não é para um bem específico. Sendo assim, ele é uma promessa de pagar o valor de de volta acrescido por juros.

Se você está procurando financiar um imóvel ou fazer uma reforma, explore as linhas de crédito oferecidas pelas instituições financeiras. Realize simulações com a concessionárias, direto com as construtoras ou instituições financeiras.

Mas, se você está decidido a fazer um empréstimo, lembre-se que para conseguir o consignado é preciso se enquadrar nos critérios que mencionamos nas páginas anteriores. A principal diferença entre ele e o pessoa é que o consignado é descontado direto da folha de pagamento, sendo vinculado ao seu emprego ou benefício do INSS. O empréstimo pessoal é simplesmente pedir, de preferência à sua instituição financeira, o dinheiro emprestado. Neste caso, você terá de comprovar sua capacidade de pagar as parcelas e depositar o valor mensalmente!

Caso você seja apto a solicitar o consignado, provavelmente esta será a melhor opção. Afinal, essa modalidade apresenta um risco muito menor para a instituição financeira e, por isso, tem taxas muito competitivas. Mas, no final das contas, a melhor opção para você sempre será aquela que você é capaz de colocar o comprometimento financeiro em sua renda mensal.

Saiba o que é Custo Efetivo Total – CET

Segundo norma do Banco Central, antes mesmo de contratar a modalidade do crédito consignado, a instituição financeira informará o Custo Efetivo Total anual.

Mas, afinal, o que isso significa? O Custo Efetivo Total, como o próprio nome já pode indicar, é o custo real da dívida. Ou seja, ele leva em conta tudo que o pagamento vai englobar. Para citar alguns: taxa de juros, impostos, tarifas e seguros. É de extrema importância levar o CET em conta, pois ele pode fazer uma diferença considerável.

É fundamental saber o valor desse custo! Não apenas para se planejar ou para quitar a dívida, mas também porque o CET aumenta com o passar do tempo. Isso costuma ocorrer logo a partir da segunda parcela devido aos custos fixos ou crescentes (seguro e taxa de administração, para dizer alguns). Infelizmente, algumas instituições financeiras informam apenas os juros nominais e o CET no início do financiamento. Por isso, atente-se e se informe sobre esse aumento.

Vale mesmo a pena optar por crédito consignado?

Já foi dito aqui que essa é uma das linhas de crédito mais baratas do mercado. Mas, tenha em mente que essa modalidade de empréstimo é uma faca de dois gumes. Pode ser o seu melhor amigo, mas pode se tornar o maior inimigo.

Antes de tudo, é de extrema importância ter cautela na hora de contratar e alguns pontos precisam ser levados em consideração. Fatores de suma importância precisam ser considerados. Tais como: ler o contrato com atenção, pesquisar a instituição financeira a ser utilizada e ter um planejamento financeiro lembrando que, pelo menos, 30% da sua renda será comprometida enquanto as parcelas forem descontadas do contracheque.

A verdade é que o crédito consignado pode ser muito útil na vida das famílias brasileiras. Consertos ou reparos em casa, emergências de saúde, investimentos… são inúmeras situações que podem te levar a pedir um empréstimo. Se você está passando por alguma delas, conheça algumas vantagens do consignado:

Taxas de juros: são menores do que grande parte das outras linhas de crédito disponíveis no mercado.

Prazos: em geral, as instituições financeiras que possuem crédito consignado oferecem prazos de pagamento mais longos.

Facilidade: a burocracia para contratar um empréstimo consignado costuma ser pouca.

Rapidez: uma vez aprovado, a liberação do dinheiro na conta é rápida e sem enrolações.

Faça um planejamento financeiro

Para qualquer tipo de empréstimo é necessário realizar um planejamento.

Antes de realizar um pedido de crédito consignado é necessário se planejar, como qualquer outro empréstimo. Separamos algumas dicas para te ajudar a realizar este planejamento:

1 – Saiba quanto da sua renda sobra por mês e o valor da parcela que você consegue pagar sem comprometer a sua qualidade de vida. O compromisso de um empréstimo sugere que você tenha mais controle e conhecimento dos seus gastos e do seu um orçamento mensal.

2 – Compare as taxas de juros. Você precisa analisar se o valor recebido é coerente com a taxa paga mensalmente, assim como os prazos exigidos pelo banco. Analise se a taxa paga é vantajosa para a finalidade do crédito;

3 – Não se esqueça da real finalidade do seu empréstimo. Ele será um compromisso seu até o vencimento do crédito. Não é possível cancelar, parcelar, bloquear ou adiar o pagamento.

Sobre o Sicoob Credijustra

Nós somos uma cooperativa que nasceu no Judiciário Trabalhista e hoje, além de atender aos Tribunais Regionais do Trabalho, TST e TSE, atendemos o servidores do MPT em todo o território nacional e os Bombeiros Militares do Estado do Pará.

Nós somos uma instituição financeira que não visa lucros. Praticamos as mesmas operações dos bancos, com algumas diferenças, como: tarifas e taxas mais baixas; parte do que se ganha é distribuído aos cooperados.

O nosso objetivo é promover serviços financeiros de qualidade, com preço justo, aos cooperados. Uma das possibilidades na instituição é que você pode contratar seu empréstimo consignado e contar com ótimas condições para organizar suas contas, aproveitando todas as vantagens do consignado. Saiba mais sobre o empréstimo consignado do Sicoob Credijustra aqui